terça-feira, 31 de março de 2015

Você Ama a Cristo?


VOCÊ AMA A CRISTO?

“... ao qual, não o havendo visto, amais...” (1 Pedro 1:8a RC)

 

Ä  A Primeira Carta de Pedro foi escrita para os cristãos que viviam em cinco províncias romanas que ficavam numa região que hoje faz parte da Turquia.

Ä  Esses cristãos estavam enfrentando sofrimentos e perseguições por causa da sua fé.

Ä  Ao procurar animá-los a continuarem firmes na sua dedicação a Jesus Cristo, o apóstolo mostra que os sofrimentos serviam para provar que a fé que eles têm é verdadeira (1.7).

Ä  Ele cita o exemplo de Cristo, que suportou o sofrimento e a morte em favor deles; aconselha que eles, por sua vez, sigam o exemplo do Mestre (2.21-25). Recomenda que, acima de tudo, eles vivam uma vida que traga honra e glória para o nome de Deus (1.15-16). E o autor faz lembrar de novo aos leitores a razão de eles terem sido salvos: "Vocês foram escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus, que os chamou da escuridão para a sua maravilhosa luz" (2.9).

Ä  No versículo que lemos inicialmente encontramos uma palavra de Pedro que podemos considerar como sendo uma constatação: “vocês não viram a Jesus, mas o amam”.

Ä  Certamente que Pedro chegou a essa constatação por observar, ou pelo menos tomar conhecimento das atitudes daqueles crentes. As atitudes deles demonstravam o amor que tinham por Cristo.

Ä  Amados irmãos, existem muitas coisas sobre as quais não basta fazermos uma declaração; é preciso mais que declaração, é preciso demonstração, e demonstração é através de atitudes.

Ä  Provérbios 20.11 diz  que até mesmo uma criança mostra o que é por suas ações.

Ä  No que concerne ao amor que declaramos ter por Cristo, o mesmo precisa ser demonstrado através de atitudes concretas.

Ä  Você ama a Cristo? Se sim, então demonstre através de atitudes.      

Ä  Quais são essas atitudes? São muitas! Nessa nossa reflexão veremos apenas três.

Ä  A primeira é:

 

ANSIEDADE PELA PRESENÇA DE CRISTO, COM CONSCIÊNCIA DO SIGNIFICADO DESSA PRESENÇA.

 

(Demonstramos que amamos a Cristo quando ansiamos por sua presença conosco, conhecendo o significado todo dessa presença)

 

Ä  Ansiedade pela presença de Cristo! Todo mundo sabe o que isso significa. Mas notem que eu não disse apenas "ansiedade pela presença de Cristo", disse também "com consciência do significado dessa presença".

Ä  Por que disse/escrevi assim?

Ä  A razão é simples: é porque há muita gente que anseia pela presença do Cristo: do Cristo que abençoa, que cura, que liberta, que livra das aflições, etc., mas

o   quando se trata da presença do Cristo que exige daqueles que querem ser seus discípulos o negar-se a si mesmo e o levar a cruz, esquivam-se;

o   quando se trata de um Cristo que exige que se obedeça à sua palavra, esquivam-se;

o   quando se trata de um cristo que exige que os seus dêem tudo de si em prol da causa do evangelho, esquivam-se;

o   Quando se trata de um Cristo que exige dos seus que exibam qualidades como amar até mesmo os inimigos, orar pelos que os perseguem, bendizer os que os maldizem, capacidade de oferecer a outra face, andar a segunda milha, ser paciente ao invés de irritadiço, ser benigno ao invés de viver só para si, esquivam-se;

Ä  Anseiam pela presença de um Cristo que não exija nada, que seja apenas um provedor dos desejos egoístas de seu coração.

Ä  Amados, o nosso Cristo é um Cristo que nos abençoa, mas também exige de nós. Ansiar pela presença desse Cristo significa também que estaremos dispostos a atender as suas exigências, tanto as que ele nos deixou de forma direta quanto as que ele nos deixou através de seus apóstolos.

Ä  Se você anseia pela presença desse Cristo e está disposto a cumprir suas exigências, é um bom indício de que você o ama verdadeiramente. Caso contrário...

Ä  A segunda atitude que quero pensar com os amados é:

 

O ZELO PELA FREQUÊNCIA ÀS REUNIÕES / CULTOS DA IGREJA

 

(Demonstramos que amamos a Cristo quando somos zelosos quanto à frequência às reuniões / cultos promovidos pela igreja)

 

Ä  Xiii!!!! Que dureza, hein? Afinal, temos tantos “motivos” para estarmos ausentes ao invés de presentes.

Ä  Cada um sabe dos seus motivos e não cabe a mim julgá-los. Mas cabe a você que os têm fazer isso. Seus motivos são, de fato, motivos?

Ä  Alguém pode discordar dessa palavra, mas vai ter que ir falar com Jesus, por que foi ele quem começou tudo isso. Foi ele quem fundou a igreja, foi ele quem instituiu a ceia do Senhor e ordenou que a mesma fosse observada (pra isso precisa de gente reunida). E certamente foi ele quem orientou seus apóstolos que se fizessem reuniões de oração, comunhão, estudo da Palavra, nas casas e no templo. E alguém pode dizer que as igrejas hoje são diferentes das "originais", das de lá dos primórdios, que as igrejas hoje têm muitos defeitos/pecados e as "de lá" não... Como assim? Com Jesus tinha um Judas; as cartas neotestamentárias escritas a igrejas apontam, para corrigir, pecados gravíssimos dentro das mesmas; as cartas de Jesus através de João às sete igrejas registradas no Apocalipse apontam pecados existentes nelas, e Jesus disse que ao final vai apresentar a si mesmo a sua IGREJA, gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível (Ef. 5.27) – Vai apresentar a si mesmo a sua IGREJA – se você não gosta de igreja, então terá que ir para outro lugar... Ademais, a IGREJA é o corpo de Cristo, a sua Noiva, o edifício que está sendo edificado sobre ele mesmo. Mas você pode ainda argumentar que a verdadeira igreja é universal e invisível; pode ser, mas a sua expressão é local e visível – é a "igreja que está em... Pérgamo... Tiatira... Esmirna... Filadéfia... e outros lugares mais"

Ä  Imagine se todos os irmãos resolverem deixar de vir aos cultos... A igreja pode fechar as portas... E o nome de Jesus será, se uma igreja fecha as portas por esse motivo, desmoralizado perante a sociedade.

Ä  Tenho um sermão escrito por alguém de nome Davis W. Huckabee, que fala sobre como matar uma igreja, isto é, como fazer com que uma congregação local feche as portas, deixe de existir. O autor fala sobre falta de oração, falta de contribuição financeira, egoísmo, teimosia rebelde, contenda dentro da igreja, mas fala também sobre ausência aos cultos promovidos pela mesma.

Ä  Escrevi essa reflexão, há muitos anos, em 2004, e vez por outra a tenho revisto e compartilhado com irmãos em Cristo, como estou fazendo hoje. Numa dessas ocasiões de compartilhamento, em 2007, compartilhei após visita a um irmão já falecido e que na época estava muito enfermo e a sua doença o impedia de frequentar os trabalhos da igreja. Esse irmão estava com o seu dízimo separado para ser entregue, o qual, segundo ele, era dado com muito amor e discernimento de que o mesmo era necessário. Emocionado esse irmão contou-me a conversa que teve com sua esposa, onde pensaram nas igrejas, aquela à qual ele pertencia, outra mais ali na frente, outra mais adiante... imaginou todas com as portas fechadas e na frente um cartaz escrito os motivos pelos quais elas estavam fechadas, dentre esses motivos, segundo o pensamento do irmão:

o   Porque os crentes começaram a pensar que não é necessário contribuir financeiramente;

o   Porque os crentes começaram a pensar que não é necessário frequentar os cultos da igreja.

Ä  Irmãos, a ausência frequente aos cultos é causa do enfraquecimento de muitos crentes. Helena Tobias conta o caso de um pastor da Nova Inglaterra, que, indo visitar um dos membros não assíduos aos cultos, encontrou-o sentado diante de uma lareira. Sem dizer uma palavra, o ministro pegou uma tenaz, tirou uma brasa viva do fogo, e colocou-a de parte, na pedra da lareira. Silenciosos, viram a brasa extinguir-se. Então, o membro exclamou: "O Senhor não necessita dizer-me qualquer coisa. Eu vou estar lá no próximo culto".

Ä  Amados irmãos, frequentar os cultos da igreja, para juntos orarmos, juntos adorarmos a Deus, juntos estudarmos a Palavra de Deus, fortalece a igreja de Jesus e é uma prova de que amamos o Senhor Jesus – porque a igreja é "invenção" dele, e ele fez dela a sua noiva e o seu corpo através do qual ele se manifesta neste mundo, manifesta seu amor às pessoas do mundo.

Ä  A terceira atitude que quero analisar com os irmãos hoje é:

 

O ZELO NA BUSCA POR APRENDER DE JESUS, POR MEIO DA PALAVRA, PARA CONHECERMOS E OBEDECERMOS AOS SEUS MANDAMENTOS.

 

(Demonstramos que amamos a Jesus quando somos zelosos na busca por aprender dele, por meio da Palavra, para conhecermos e obedecermos aos seus mandamentos)

 

Ä  Jesus disse, certa vez: “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, este é o que me ama... Quem não me ama não guarda as minhas palavras...” (João 14:21a e 24a RC)

Ä  Ter os mandamentos de Jesus e os guardar! Isso implica em aprendizado por meio da Palavra. E o aprendizado por meio da Palavra exige dedicação, zelo, estudo.

Ä  Sobre obedecer aos mandamentos de Cristo, Thomas Vincent, um puritano do século dezessete escreveu: “Vocês têm os mandamentos de Cristo. Vocês os guardam? Vocês os conhecem, mas vocês os praticam? O seu amor por Cristo é conhecido pela sua obediência a Ele. Se Cristo é o seu Amado, Ele é também o seu Senhor; se vocês têm verdadeira afeição por Ele, vocês se sujeitarão a Ele. Se vocês amam a Cristo, vocês procurarão agradá-lO. Vocês não são servos da carne, para cuidarem de agradá-la, mas são servos de Cristo para procurar, acima de tudo e de todos, agradá-lO. Se vocês amam a Cristo, vocês não só temem dar ocasião de ofensa para os homens, mas acima de tudo, vocês temem desagradar e ofender o seu Senhor. Vocês se esforçam para andar de modo que agrade a Cristo na forma de uma sincera e compreensiva obediência? Vocês obedecem a Cristo de todo o coração? Têm vocês respeito por todos os seus mandamentos? Vocês lamentam quando caem em sua obediência a Cristo? Se vocês podem dizer na presença do Senhor e dos seus corações  que vocês não vivem e não permitem a si mesmos viverem na prática de qualquer pecado conhecido que Cristo proíbe, nem na negligência de qualquer dever conhecido que Cristo ordena, essa é uma evidência segura do verdadeiro amor por Cristo.

 

CONCLUSÃO

 

Ä  O que vimos hoje, então, sobre essa assunto de amar a Cristo? Relembremos:

o   Demonstramos que amamos a Cristo quando ansiamos por sua presença conosco, conhecendo o significado todo dessa presença.

o   Demonstramos que amamos a Cristo quando somos zelosos quanto à frequência às reuniões / cultos promovidos pela igreja.

o   Demonstramos que amamos a Jesus quando somos zelosos na busca por aprender dele, por meio da Palavra, para conhecermos e obedecermos aos seus mandamentos.

Ä  Que Deus nos abençoe, e faça crescer em nós, a cada dia, o amor pelo Senhor Jesus.

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves

sábado, 28 de março de 2015

A Todas as Gentes

A TODAS AS GENTES

 

“E este evangelho do Reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as gentes, e então virá o fim” (Mateus 24:14 RC)

 

1.    A mensagem do texto em questão é a vinda do fim. Mas, antes de vir o fim, vêm os sinais que o antecedem, o que faz o texto e seu contexto falar também sobre:

a.    A vinda de falsos cristos;

b.    A deflagração de guerras;

c.    O aumento da fome, de pestes, de terremotos;

d.    O aumento da iniqüidade trazendo como conseqüência o esfriamento do amor de muitos;

e.    O surgimento de muitos falsos profetas que enganarão a muitos;

f.     E o evangelho sendo pregado, mesmo em meio a tudo isto, em todo o mundo, a todas as gentes.

2.    Quero me deter neste último ponto, já que estamos em campanha de Missões.

3.    Pensemos em algumas questões:

 

I. O texto nos leva a pensar em algumas verdades absolutas.

 

1.    O que é isso? O que significa "absoluto"?

a.    Se estivéssemos pensando sobre Deus, então aproveitaríamos a definição do Aurélio de "absoluto" como sendo "conceito de um ser, ideal ou material, que se definiria como o princípio constitutivo e explicativo de toda a realidade".

b.    Mas como não estamos tratando de "Deus", e sim de "verdades", então podemos aproveitar a definição do mesmo Aurélio que diz que absoluto é aquilo "que não admite contradição; incontestável"

2.    Então estaremos voltando o nosso pensamento para verdades que não admitem contradição, incontestáveis.

3.    Em uma das leituras devocionais do periódico devocional “Nosso Andar Diário”, a do dia 13 de Março de 2007, há uma referência à história de um professor de filosofia que começava cada novo semestre perguntando a seus alunos se eles acreditavam haver valores absolutos que podem ser comprovados. Havia muitos alunos relativistas que acreditavam que nenhuma lei pode ser aplicada de forma universal, sendo tudo, então, relativo e dependente de lugares, circunstâncias e tempo. Mas ao final o professor provou que existem valores absolutos, inquestionáveis.

4.    Bem, eu não sei quais foram os valores que o referido professor ao final provou serem absolutos, mas gostei bastante de um texto de Rogério Alves dos Santos em que ele trata de valores do reino de Deus que são absolutos, baseado em Marcos 9. Veja alguns, como exemplos:

 

NO REINO DE DEUS NÃO HÁ LUGAR PARA AUTOPROMOÇÃO – vv 33-34 "Tendo eles partido para Cafarnaum, estando ele em casa, interrogou os discípulos: De que é que discorríeis pelo caminho? Mas eles guardaram silêncio; porque, pelo caminho, haviam discutido entre si sobre quem era o maior"

NO REINO DE DEUS SER GRANDE É SER SERVO – v 35 "E ele, assentando-se, chamou os doze e lhes disse: Se alguém quer ser o primeiro, será o último e servo de todos"

NO REINO DE DEUS OS MENORES SÃO ABSOLUTAMENTE IMPORTANTES – vv 36-37 "Trazendo uma criança, colocou-a no meio deles e, tomando-a nos braços, disse-lhes: Qualquer que receber uma criança, tal como esta, em meu nome, a mim me recebe; e qualquer que a mim me receber, não recebe a mim, mas ao que me enviou"

O REINO DE DEUS EXIGE RENUNCIA DE TUDO QUE NOS AFASTA DA SANTIDADE – vv 42-48 "E quem fizer tropeçar a um destes pequeninos crentes, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma grande pedra de moinho, e fosse lançado no mar. E, se tua mão te faz tropeçar, corta-a; pois é melhor entrares maneta na vida do que, tendo as duas mãos, ires para o inferno, para o fogo inextinguível onde não lhes morre o verme, nem o fogo se apaga. E, se teu pé te faz tropeçar, corta-o; é melhor entrares na vida aleijado do que, tendo os dois pés, seres lançado no inferno onde não lhes morre o verme, nem o fogo se apaga. E, se um dos teus olhos te faz tropeçar, arranca-o; é melhor entrares no reino de Deus com um só dos teus olhos do que, tendo os dois seres lançado no inferno, onde não lhes morre o verme, nem o fogo se apaga"

 

(https://www.facebook.com/fanpage.rogerioalves?fref=nf)

 

5.    Não são estes valores realmente inquestionáveis?

6.    Mas não é só valores; existem verdades absolutas, indiscutíveis.

7.    E o texto nos leva a pensar em algumas dessas verdades nas quais a igreja fará bem em atentar para cumprir a sua missão. Tenho um material gravado em meu computador, que, infelizmente, talvez por erro meu na época em que coletei, não consta o autor, que enumera essas verdades como sendo pelo menos três: (A) Uma mensagem que deve ser anunciada; (B) A mensagem é o evangelho do reino e (C) A geografia, a delimitação da área em que essa mensagem deve ser pregada, é determinada pelo próprio Cristo

8.    Pensemos em cada uma em separado:

a.    Uma mensagem que deve ser anunciada – A ênfase recai sobre “anunciada” – O texto diz que o evangelho do reino será “pregado". Ora, pregar implica em ser um arauto, oficiar como um arauto, proclamar como um arauto sempre com sugestão de formalismo, gravidade, e uma autoridade que deve ser escutada e obedecida. Pregar é publicar, proclamar abertamente algo que foi feito. (Recurso Strongs em A Bíblia Online)

b.    A mensagem é: o evangelho do reino – A mensagem a ser anunciada está bem definida no texto em questão e no Novo Testamento como um todo. A igreja tem que apregoar esta mensagem. Não cabe à igreja e nem aos mensageiros que ela envia escolher. A mensagem já está definida e não pode ser mudada.

c.    A geografia, a delimitação da área em que essa mensagem deve ser pregada, é determinada pelo próprio Cristo – E qual é essa área? O texto diz bem claro: Todo o mundo, a todas as gentes.

9.    Há uma mensagem que precisa ser anunciada; essa mensagem é o evangelho do reino; e essa mensagem, esse evangelho do reino deve ser anunciado a todas as gentes.

10. Os irmãos entenderam bem isto? Posso passar para o outro ponto da mensagem?

11. Então, vamos lá:

 

II. O texto nos leva a pensar que para uma tarefa de tamanha proporção e dificuldade, muita gente se faz necessária: toda a igreja.

 

1.    Anunciar a mensagem que é o evangelho do reino a todas as gentes é uma tarefa imensa e difícil.

2.    Porque é imensa? Ora, a razão é óbvia: São cerca de sete bilhões de "pares de ouvidos" espalhados em uma extensão de cerca de 510 milhões de km2. É certo que cerca de setenta por cento dessa extensão é composta por oceanos, mas os oceanos precisam ser transpostos para se chegar onde as pessoas estão, e, mesmo assim, sobram cerca de 150 milhões de km2 de terra firme.

3.    E, além da dificuldade da imensidão territorial, há outras dificuldades, talvez maiores:

a.    Há gente que mora na floresta – Só no Brasil são mais de 6.500.000 ribeirinhos (http://pt.wikipedia.org/wiki/Povos_ribeirinhos) e quase 900.000 índios (http://www. suapesquisa.com/indios/)

b.    Há gente que mora nos desertos – Tomemos como exemplo apenas o deserto do Saara, o mais "conhecido": São mais de 9 milhões de quilômetros quadrados, abrange mais de dez países e abriga muitos povos, dentre eles os Tuaregues, com mais de 1 milhão de pessoas e os beduínos, com mais de 9 milhões. (Wikipedia)

c.    Há gente que mora em lugares inimaginavelmente carentes;

d.    Há gente que mora em locais inóspitos ao evangelho – Recentemente na fronteira de Mianmar "... um pastor e sua igreja de 170 cristãos tiveram de fugir para a cidade vizinha de Lasho para se refugiar. Uma fonte, cujo nome é preservado, disse: “O pastor não podia se comunicar conosco mais, nem eu podia entrar em contato com ele, mas um amigo do norte do estado de Shan me contou que está alugando um grande salão para que eles ocupem temporariamente. Ore para que eles tenham provisões suficientes.” (Site Portas Abertas)

 

Veja essa outra informação, no mesmo site, recente, atualizada em Janeiro de 2015, sobre a inospitalidade ao evangelho na Coréia do Norte:

 

Há 13 anos, a Coreia do Norte tem sido o lugar mais difícil do mundo para um cristão praticar sua fé; um recorde desde que a Classificação da Perseguição Religiosa foi criada, em 1994. Nenhum outro país ficou por tanto tempo ocupando a posição de maior destaque da lista. Considerada hoje a nação mais fechada do mundo por suas políticas de isolamento, a Coreia do Norte é um mundo à parte, onde servir a Deus custa um alto preço. Qualquer atividade religiosa é vista como uma forma de revolta contra os princípios socialistas do governo e contra o culto à personalidade do líder, Kim Jong-Un. Ser cristão na Coreia do Norte significa ser proibido de professar sua fé abertamente. Forçados a viver somente em segredo, os cristãos não ousam compartilhar sobre a sua fé nem mesmo com seus familiares, por medo de ser enviados a campos de trabalho forçado (onde estão presos cerca de 50 a 70 mil cristãos). Uma pessoa descoberta em atividade religiosa está sujeita a detenção, desaparecimento, tortura e até mesmo execução pública. No entanto, apesar das dificuldades enfrentadas, a Igreja continua perseverando e está crescendo: há cerca de 400 mil cristãos no país. “Através da fé, venceremos as dificuldades e o sofrimento. E, também, confortados pela fé, conseguiremos prosseguir”, diz um cristão norte-coreano.

 

e.    A barreira linguística é uma grande dificuldade – Você sabe quantas línguas são faladas no Brasil, fora o português? Segundo o IBGE, o censo de 2010 contabilizou 305 etnias indígenas no Brasil, que falam 274 línguas diferentes (wikipedia). E no mundo, você sabe quantas línguas diferentes são faladas? Existe alguma divergência de informações, mas sabe-se com certeza que são mais de 6.900 línguas. Foi só recentemente, em 2007, que nosso missionário Guenther Carlos Krieger, conseguiu concluir, depois de mais de 40 anos, a tradução do Novo Testamento para a língua xerente. Um dos índios deu o testemunho: "Enquanto eu lia a Bíblia só em português, nunca cheguei a ter uma noção maior do amor de Deus. Quando a gente lê em português, a gente lê por alto e quando a gente lê em nossa própria língua, a gente entende lá no fundo"

4.    De vez em quando acontece algo, alguma ajuda, que facilita muito o trabalho. Nossa JMN recebeu um presente... (Vídeo do barco do projeto Amazônia)

5.    Entretanto, em geral, a tarefa é imensa e difícil, e creio que é bastante claro que o envolvimento de toda a igreja se faz necessário.

a.    Todos podemos e devemos orar – pelos povos que serão evangelizados, pelas nossas juntas missionárias, pelas necessidades pessoais dos missionários,pela segurança dos missionários, pela família dos missionários (especialmente os filhos), para que aos missionários seja dada, no abrir de suas bocas, "a palavra com confiança, para fazer notório o mistério do evangelho"...

b.    Todos podemos e devemos contribuir financeiramente – ninguém deve se abster de contribuir;

c.    Todos podemos e devemos dar bom testemunho e falar o evangelho onde estamos ou estivermos;

d.    E alguns podem ir a outros campos...

6.    Ditos isto, passemos a outro ponto:

 

III. O texto nos leva a pensar que para uma tarefa de tamanha proporção, além do envolvimento de toda a igreja se faz necessário o desenvolvimento de boas estratégias para alcançar as pessoas.

 

1.    Uma boa estratégia foi a criação das juntas missionárias.

2.    As juntas missionárias, por sua vez, em conjunto com os missionários sob sua administração, desenvolvem estratégias para alcançar as gentes que estão debaixo de sua “jurisdição”

3.    Pedir aos irmãos para citarem algumas estratégias que eles conhecem e que as juntas usam...

4.    Alguns exemplos da JMM:

 

clip_image001

O POPE é um projeto de ensino, orientação e tratamento odontológico direcionado a crianças entre 5 e 12 anos, período em que estão trocando a dentição. Os missionários atendem as crianças no próprio local onde a missão ou a igreja se reúne. Através de dois fantoches – “Zé Escovinha” e “João Banguelinha” – o casal missionário Dr. Paulo e Tereza Pagaciov ensina as crianças a respeito do tratamento odontológico preventivo. Através do atendimento às crianças, o POPE cria também um vínculo com as suas famílias e, dessa forma, abre portas para a apresentação do Evangelho. Usando um consultório portátil, os missionários realizam limpezas, aplicações de flúor, pequenas restaurações e outros serviços odontológicos.

 


clip_image002

O PEM é um programa que utiliza estratégias para mobilizar, selecionar e preparar novos obreiros para o uso do esporte como estratégia missionária.O PEM vem abrindo portas para a evangelização dos povos não somente da Ásia, mas de outras partes do mundo. A visão de utilizar o esporte na obra de missões tem sido uma grande jogada. Hoje o PEM está presente em países da Ásia, África, Europa e América Latina, coordenando o trabalho de diversos missionários que utilizam o esporte como uma de suas ferramentas missionárias.

 

clip_image003

Implantado no Brasil pelos missionários britânicos Pr. Stuart e Georgina Christine, e expandido pelo mundo através de Missões Mundiais e da missionária Terezinha Aparecida de Lima Candieiro em 1991, o PEPE é um programa missionário, destinado a igrejas locais que desejam impactar comunidades carentes com o Evangelho a partir de um atendimento sócio-educacional e espiritual para crianças de 4 a 6 anos. É viabilizado através de uma parceria entre a Junta de Missões Mundiais da CBB, a Sociedade Missionária Batista Britânica e a Associação Batista de Incentivo e Apoio ao Homem – ABIAH. 

 

5.    E nossa JMN desenvolve diversas estratégias, como:

a.    Trans;

b.    Lares batistas F. Soren e Davi Gomes;

c.    Cristolândia;

d.    Projetos temáticos em parceria com outras instituições. Veja um resumo sobre o assunto extraído do site da JMN:

 

... atingimos, em maio de 2010, o total de 198 parceiros (incluindo universidades, escolas, órgãos de saúde, organizações sociais, empresas, profissionais autônomos e voluntários) e 329 projetos já implantados nas instituições sociais em diversas áreas temáticas:

·         Educação e Cultura: orientação escolar, reforço escolar, inglês, alfabetização, biblioteca, clube da poesia, redação e desenho, curso de Libras, grêmio estudantil;

·         Saúde e Nutrição: acompanhamento físico e nutricional, atendimentos e exames clínicos, saúde odontológica, higiene e cuidados pessoais, alimentação balanceada, reaproveitamento de alimentos, ciclo de palestras, promoção e prevenção da saúde, educação em saúde oral, atendimentos psicológicos;

·         Música e Teatro: coral, coreografia, teclado, violão, flauta, bateria, teoria musical, coral do silêncio (surdos e ouvintes), teatro;

·         Esporte, Lazer e Jogos Educativos: xadrez, pingue-pongue, futebol, futsal, vôlei, basquete, educação física...

·         Empreendedorismo: criação de bonecas, artesanato em telhas, pedras e mármore, tricô, crochê, vagonite, costura, caixas artesanais, decoupagem em tecidos, mosaico, bijuterias, bordado, pintura em tecidos, pedrarias em sandálias, curso de culinária, corte e costura, bolsas, marcenaria;

·         Meio-ambiente e Educação ambiental: reciclagem, horta, granja e pomar (cultivo de plantas, frutas, verduras e legumes), palestras ambientais; passeios e eventos ecológicos;

·         Cidadania: comemorações e eventos cívicos, cinema na escola;

·         Profissionalização: Programa jovem-aprendiz, programas de estágios, desenvolvimento de talentos, conserto e manutenção de computadores, inclusão digital e cursos profissionalizantes, culinária, estética e beleza;

·         Educação e Vida cristã: Capelania, evangelismo, discipulado, jardim da oração, devocionais, estudos bíblicos, louvor e adoração, gincanas bíblicas, crianças para Jesus;

·         Integração lar/escola/comunidade: atividades esportivas, bazar e feiras, estudos bíblicos e evangelização em escolas;

·         Treinamento e capacitação: Desenvolvimento das equipes nas competências essenciais;

·         Instalações físicas: Construção e reformas para adequação dos ambientes de acordo com as necessidades de cada projeto;

·         Desenvolvimento Sustentável: Integração e parceria com a comunidade, voluntariado;

 

e.    E por aí vai...

6.    Estratégias! Maneiras de ajudar os outros em outras áreas e também de evangelizar.

 

IV. Mas o texto nos leva a pensar também que para uma tarefa de tamanha proporção, uma tarefa que tem como objetivo a glória de Deus entre as nações e a salvação de almas, além, e muito mais do que do envolvimento de toda a igreja e do desenvolvimento de estratégias, precisamos de poder, e esse poder só o encontramos na pessoa de Jesus e no Espírito Santo.

 

1.    Veja Mateus 28.18-20; atos 1.8.

2.    É imprescindível, portanto, para a realização dessa tarefa, que estejamos ligados a Cristo – Veja João 15.1-5.

 

Conclusão

 

1.    “Todas as gentes”, é o alvo de Jesus, e portanto, o alvo da igreja.

2.    O que VOCÊ tem feito? O que você vai fazer?

3.    Encerrar cantando o hino 438 do Cantor Cristão.

 

Pr. Walmir Vigo Gonçalves

Muqui – Março de 2015